Pular para o conteúdo principal

Fringe: Review "Subject" S03E15


Falar o quê desse episódio de Fringe? Continue lendo...

Palavras serão ineficientes para expressar o que foi esse episódio "Subject 13". Uma salva de palmas seria mais adequado. Um poço de mistério! Fringe me lembra muito Lost em vários aspectos. Todo flash-back da série é fundamental para o entendimento, além de nos dar respostas, criam outras ainda mais instigantes. Referências a outras séries, como no caso desse, "Alias", mensagens escondidas em Glyph Code e ainda temos o observador, para que não desgrudemos um minuto se quer do episódio a sua procura. Sem falar na sua excelente trama, cada vez mais interessante e fascinante, acompanhada com a uma produção não menos competente. É uma série que dá pra debater, trocar opiniões e teorias. Isso é Fringe, isso é J.J.Abrams.

Voltamos ao início. Particularmente esperava muito por esse momento. Enfim descobrimos como foi a reação de Walternativo e sua esposa, logo após descobrirem que Peter foi sequestrado. Várias de nossas perguntas foram respondidas, principalmente a maneira com que Walternativo começou sua busca por Peter. Nada é inexplicável e a explicação caiu do céu para ele, ou melhor, veio do outro mundo.

Assistindo a uma promo do episódio, antes de sua exibição, já imaginava que Peter estaria tentando voltar para seu mundo devido as diferenças em seu novo mundo e principalmente em seus novos pais. Vejam abaixo:


Se confirmou, mas achava que a infância de seria retirado de sua memória, da mesma forma que aconteceu com Walter, fato que não se confirmou, mas ainda está em aberto. Alguma coisa aconteceu para que Peter e Olívia em sua fase adulta, não lembrassem de nada do que aconteceu, nem um do outro e principalmente de Walter. No fim do episódio, Peter aceita sua nova mãe e seu novo mundo, mas da "boca pra fora", simplesmente pelo fato de não conseguir um caminho real de volta. Essa resposta eu aguardo e tenho certeza que terei.

Walter e sua esposa estariam tentando enviar Peter de volta e não estavam conseguindo? Acredito que mais da parte de sua esposa, pois, duvido muito que Walter estava com isso em mente, depois de tudo que fez para ter seu filho de volta. A obsessão pelo garoto é tão real nos dias de hoje como no passado.

Adorável maltratada Olívia Dunham! Desde criança já sendo pressionada por todos os lados. O que é pior? Ser maltratada por seu padrasto ou ser cobaia de Walter? Difícil responder, mas pelo menos com Walter, o propósito era relevante e mesmo contudo, a garota se divertia muito e se não fosse por isso, não encontraria o amor de sua vida. Sensacional a cena onde ele ameaça aquele covarde. John Noble esteve esplêndido! Confira!


"Subject 13" vulgo Olívia Dunhan. A primeira a transparecer a habilidade de viajar entre os mundos. Claro que a perspicácia de Walter ajudou, mas a garota, desde cedo, é uma guerreira e sem ela, duvido que Walter acharia outra pessoa. Walter conseguiu achar o ponto exato para que pudesse exercer sua habilidade, mas que lucrou mesmo como vimos, foi Walternativo.

Definitivamente Olivia e Peter nasceram um para o outro e ficou claro que nenhuma "falsolivia" irá atrapalhar, mesmo estando grávida. É um sentimento verdadeiro, incomum e a primeira vista. Mas isso não foi a função de Olívia no episódio. Maltratada, humilhada, explorada e rejeitada, mas sempre com a garra e atitude que acostumamos a ver, já fazia parte de sua infância. Sem querer revelou a verdade para Walternativo, que tempos depois tentaria matá-la.

Enfim, depois de entrarmos na máquina do tempo e saciarmos com o passado de Fringe, tudo ficou mais claro, mais polêmico e mais excitante. Nada acontece sem motivo em Fringe e como disse Walternativo, "Nada é inexplicável, Elizabeth".

E o Emmy de melhor ator coadjuvante vai para JONH NOBLE!!! Não aceito outro resultado.

e no próximo episódio...

"Os"

"A equipe investiga um grupo de ladrões que é capaz de quebrar as leis da gravidade; Walter tenta adiar o dano que ele causou."

Vídeo Promocional:

Comentários

  1. Review grande, mas ainda sim excelente e também gostei muito do episódio, a atuação dos atores está soberba e a história foi muito boa. O interessante é que esse episódio deixou claro que não existe lado bom ou lado ruim, cada um agiu de forma coerente com tudo o que aconteceu, Walternativo quer seu filho de volta e a esposa de Walter (não me lembro o nome dela agora) se sente culpada por criar um "filho que não é seu".Essa parte dramática é muito interessante (talvez até mais que o bizarro triangulo amoroso).
    Espero que o próximo episódio flashback Seja mais focado em Walternativo, mostrando as conseqüências do seu encontro com Olivia. Ademais, me sentir mesmo vendo um episódio de Lost, com aquela trilha fantástica e atuações de partirem o coração. Fringe conseguiu transmitir a angustia dos personagens nesse episódio de forma espetacular com um exemplar trabalho da produção, dos atores e principalmente dos roteiristas. Claro que temos mais um monte de perguntas, mas percebo que ficar questionando como eles se esqueceram da infância é menos significativa para o episódio, sabemos que eles não se lembram do seu passado claramente desde o inicio da série e vou torcer para que a serie continue por tempo suficiente para que possamos descobrir o porque (depois de tudo que vi nessa série, confio demais nos roteirista para ficar apontando possíveis furos de roteiro), mas por enquanto vou aproveitar essa viajem.:-D
    Outra coisa que vale ressaltar são as varias referências a cultura nerd que o episódio trouxe e os muitos detalhes vermelho-azul (com um verde no meio aos 15:23min!?)

    ResponderExcluir
  2. Cara, acho que se essa review fosse menor, não teria expressado o quanto esse episódio foi grandioso pro decorrer da trama...
    Acho que esse foi o melhor flashback que teve até agora, e espero que tenha outro antes do final da temporada... Eu faria uma outra review nesse coment caso fosse falar oq eu achei do epi e da review, então só tenho mais uma coisa a dizer: JOHN NOBLE pra melhor ator coadjuvante no Emmy Awards!! \o/ @matheusdes

    ResponderExcluir
  3. A humanização dos personagens de Frige é, pra mim, um dos pontos altos da série.. Esse episodio foi muito esclarecedor e foi muito legal acompanha-lo (Palmas tbm pro live tweet). Ansioso pro proximo :D

    ResponderExcluir
  4. Cara, acho que se essa review fosse menor, não teria expressado o quanto esse episódio foi grandioso pro decorrer da trama...
    Acho que esse foi o melhor flashback que teve até agora, e espero que tenha outro antes do final da temporada... Eu faria uma outra review nesse coment caso fosse falar oq eu achei do epi e da review, então só tenho mais uma coisa a dizer: JOHN NOBLE pra melhor ator coadjuvante no Emmy Awards!! \o/ @matheusdes

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Agenda de Séries

Agenda de séries:

Fique por dentro das séries que vão ao ar no dia nos Estados Unidos com essa super agenda.  Dúvidas, críticas elogios... Caso haja algum erro na agenda, mencione-o nos comentários.

Entendendo Game Of Thrones

Game of Thrones é uma série que acaba se tornando bem difícil de explicar, e isso ocorre justamente por causa da complexidade dos personagens, que são muitos, e pela quantidade de subtramas existentes. Então, meu objetivo com esse texto é fazer com que uma pessoa que nunca viu ou que não tenha entendido muito a premissa da série, entenda de forma clara qual a principal narrativa. Nesse texto não vou entrar em detalhes sobre os personagens e subtramas (senão você ficaria horas aqui lendo), apenas vou tentar mostrar a direção e o que a série propõe.
Como todos sabem, a série Game Of Thrones (produzida pela HBO) é a adaptação dos livros de fantasia épica escritos por George R.R. Martin, que são chamados de As crônicas de gelo e fogo. Já se passaram a 1° e 2° temporada, adaptando o primeiro (A guerra dos tronos) e o segundo (A fúria dos reis) livro, respectivamente. E nesse domingo é a estreia da terceira temporada, que irá adaptar a primeira parte do terceiro livro (A tormenta das espadas…

Especial: TOP 5 séries que você não deve assistir com a sua mãe

Olá, leitores! Hoje não é um dia qualquer, não é um simples domingo onde você, caro leitor, comerá um pedaço de pizza do sábado à noite no almoço, porque hoje é o dia das mulheres da vida de cada um de vocês, das mulheres que consideram sagradas. Hoje é dia das mães! O Viciado Em Série não poderia deixar de prestar sua homenagem, contudo, decidido a fazer algo diferente do bom e velho “TOP 5/10 Mães de Séries/Filmes”, segue o "TOP 5 Séries Que Você Não Deve Assistir Com a Sua Mãe".
5º Lugar - Game of Thrones

Uma série da HBO para maiores de 18 anos cheia de nudez, cenas de sexo, incesto, orgias, guerras, violência de todos os tipos, entre outras situações embaraçosas. Game of Thrones, definitivamente, não é o tipo de série para você assistir ao lado da sua querida e sagrada mãe, afinal, qual filho não fica constrangido diante uma cena de sexo em um filme aleatório sendo assistido junto dela? Agora imagina uma cena dessas entre dois irmãos... Pois é, MELHOR NÃO! 
4º Lugar – Tr…

O Fim da Saga Red John em "The Mentalist"

Por Jaqueline Pigatto
Chegou ao fim uma das maiores sagas dos seriados da atualidade. Patrick Jane finalmente colocou as mãos em Red John, o serial killer que matou sua esposa e filha. A série, que teve início há 6 anos, sempre focou na busca do protagonista por vingança, com Red John sempre alguns passos à frente, criando mais perguntas para as poucas respostas que conseguíamos, praticamente entrando na mente de Jane e roubando uma memória feliz, até conseguindo sua lista de suspeitos, revelada ao final da quinta temporada.
A partir dali sabíamos que o momento tão esperado chegaria. A produção confirmou: vamos descobrir nessa temporada quem é Red John. Os 7 suspeitos da lista eram personagens que frequentemente passavam pela série, em sua maioria policiais ou ligados ao governo. Pessoas de poder e influência. Mas poucos fãs acreditavam que realmente seria um daqueles. Sempre teve a teoria de que o Red John seria o próprio Patrick Jane. O bizarro Brett Partridge era uma das principais…

A Fantástica Última Temporada de The Killing

(Com spoilers)

Uma aula de como encerrar uma série.
The Killing recusava a nos deixar. Sofreu dois cancelamentos e foi resgatada duas vezes. Lutou contra os números de audiência, única coisa que interessava para o AMC, e conseguiu sobrevida graças à sua qualidade, prontamente reconhecida pelo Netflix. Ajudou na produção da terceira temporada e bancou sozinha a sua quarta, pois, felizmente, acreditou na série e não nos deixou órfãos, depois daquele excepcional cliffhanger.
Terminamos a terceira temporada presenciando Linden matar cruelmente (e merecidamente) Skinner, aos gritos de "NÃO" de Holder. Tempos depois fomos noticiados que não veríamos mais nada além daquilo, pois o AMC decidiu cancelar a série, fato que trouxe muita tristeza para o seu telespectador. É uma crueldade que fazem com o telespectador, mas é, infelizmente, uma prática comum na TV, pois não respeitam nada além de lucro, e deixam de contar uma história sem mais nem menos, se lixando para seus clientes. 
E a …