Fringe: Review "Bloodline" S03E18


Está ficando chato só elogiar, mas... Continue lendo


fazer o quê se eles se superam cada vez mais? É sempre um episódio melhor do que o outro, e considero "bloodline" o melhor até agora referente ao universo alternativo.

Esse episódio me lembrou muito o início da 1ª temporada onde aceleraram a gravidez de uma mulher, e a criança nasceu, cresceu envelheceu e morreu em poucas horas, lembram? A mulher e a criança/adulto acabaram morrendo, ao contrário desse episódio. Falsolivia e seu filho saíram sãos e salvos, mas o mistério ainda continua.

Será que Walternativo sabia que seu neto só sairia vivo se Falsolívia tivesse uma gravidez instantânea e por isso encenou todo sequestro para que pudessem fazer a cirurgia? Não acredito nessa hipótese, mesmo mostrando a entrega do exame médico para Walternativo, vinda do mesmo médico que operaria Falsolivia. Não mostraram para quem o médico entregou o exame. Walternativo não precisaria disso. Detalhe que o exame entregado a Walternativo, não é o mesmo pego pelo médico, como podemos ver nas imagens abaixo. (Ou então é erro da produção).


Porquê enfatizaram tanto essas 3 entregas de exames? Aí tem coisa.

Pra mim isso é coisa do Observador, que esteve bem visível nesse episódio, além de ter influência direta. Nada tira da minha cabeça que o Observador foi o responsável direto por sequestrar e salvar a vida da Falsolivia e de seu filho. Os Observadores tem algum interesse na sobrevivência do garoto, e caso Falsolívia soubesse que o Eclâmpsia viral a impediria de ter seu filho, iria optar pelo aborto. Sendo assim. os Observadores moveram seus pauzinhos.

Eu que eu quero saber mesmo, é o verdadeiro plano dos observadores. Estão misteriosos de mais.

"Está acontecendo"

Só isso que vocês tem a dizer? Qual seria o interesse real dos Observadores no filho de Falsolivia, que aparentemente não tem nada de especial, pois, não são filhos de pessoas de universos diferentes, como muitos estão dizendo. Peter e Fasolívia são do mesmo universo. O filho que foi concebido no universo oposto. Estariam pensando em usar o garoto no lugar de Peter, na temida "máquina da morte"?

Eu sei que essas teorias são muito loucas, mas se não confirmarem, serei o primeiro a dar o braço a torcer.

Por isso que amamos Fringe. Os produtores insistem em nos deixar malucos e nós adoramos. Várias mistérios surgiram nesse episódio e nenhum de nós cidadãos comuns, terá como adivinhar o que vem pela frente. A série poderá caminhar por várias direções, e é assim que faz uma boa série. Não temos previsão de nada, apenas a certeza de que será bombástica. Quem viver verá, aqui ou no outro universo.

Glyphs code do episódio:


Fated: Predestinado, fadado. Alguma dúvida que está relacionado ao nascimento do bebê de Falsolívia? Acho que não, mas quem tiver alguma teoria, pode deixar nos comentários que terei o maior prazer de ler.

2 comentários:

  1. Ok, não estou completamente satisfeito com esse episódio, Fringe diminuiu o ritmo frenético que tinha nos primeiros episódios da temporada, isso me incomoda um pouco, mas não porque a coisa foi ruim, mas sim porque eu quero ver o pau quebrar entretanto ainda há muita coisa a ser dita e as peça só estão sendo posicionadas.
    Neste sentindo, “Bloodlone”, foi um daqueles episódios que te deixam loucos pelo que estar por vim. E sabe aquela trama chata da gravidez de BOlivia? Então, há muito mais ali do que um plot estilo novela mexicana e agora temos um monte de teoria sobre a participação dos observadores, os planos de Walter e sobre as atitudes de Lincon e Charlie diante de tudo que está acontecendo, aliais, os dois devem ser uma importante variável nos eventos que se aproximam. Os produtores mais uma vez nos ensinam que nem tudo é tão obvio como se supõe e mesmo que alguns de nos fãs da serie já tinham questionado a importância do filho de Peter, agora só temos a certeza de que qualquer coisa pode acontecer.
    Agora só podemos esperar, acho que a casa ainda vai ser arrumada por pelo menos dois episódios e no final das contas é isso que faz uma série emocionante, mesmo um episódio com um ritmo lento consegue te deixar animado e estranhamente é excelente, pois deixa tudo mais claro (ou não, no caso de Fringe) e emocionante.
    Ademais vale destacar que “Bloodline” foi emocionante e deu um novo tom as histórias passadas Over There, que ganha uma linha histórica muito promissora.
    Então é isso, abraço e até dia 15/04 (meu aniversario \o/!!!).

    ResponderExcluir
  2. Eu achei engraçado que no lado b eles pareciam achar o processo de "acelerar a gravidez" a coisa mais comum do mundo!
    Adoro essas pequenas coisas que diferenciam os dois mundos, haha.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.